terça-feira, 31 de julho de 2007

ENEH 2007 - CUIABÁ

Nos dias 2 à 9 de setembro ocorrerá em Cuiabá o XXVII ENEH, com o tema: “Terra de ninguém?”

As inscrições foram prorrogadas até dia 15/08!

Do projeto:

"O Encontro Nacional dos Estudantes de História em 2007 chegará na sua 27° edição. Desta vez, terá como sede a UFMT (Universidade Federal de Mato Grosso), campus de Cuiabá.

Evento, de suma importância acadêmica e, sobretudo, política (no sentido de ser um espaço de articulação do movimento estudantil). Nesta edição traz a urgente necessidade da construção de um movimento estudantil de caráter combativo e articulado, dando ênfase no papel em que o estudante deve desempenhar em lutas populares.

Nesse sentido algumas diretrizes fundamentais são estabelecidas, tais como o tema: “Terra de ninguém?” Com tal titulo, queremos destacar o contexto específico da sede (que durante anos fora vista como terra de ninguém) e a atual conjuntura global em que a terra (que se amplia a diversos sentidos) é palco de disputas, por vezes sangrentas, entre oprimidos e opressores, explorados e exploradores e assim por diante.

O tema é composto por três eixos temáticos:
1)Territórios, fronteiras e resistência cultural;
2)A organização dos movimentos sociais e as relações de força e dominação no Mundo Contemporâneo;
3) Universidade de ninguém: A atual conjuntura da universidade pública e do movimento estudantil. "

Valores, e etc e tais pormenores, veja você mesmo no site do XXVII ENEH:
http://www.ufmt.br/eneh2007

Em relação à viagem, o CALHEV está buscando contato com outras universidades que irão.

quinta-feira, 26 de julho de 2007

EM CARTAZ:

O PRIMO DA CALIFÓRNIA do ATOS TEATRO

O PRIMO DA CALIFÓRNIA une todos esses elementos em uma comédia de costumes, uma crítica social sobre como o dinheiro compra prestígio e poder. De ummodo totalmente divertido e através de tipos sociais, o texto mostra a vidade aparência da sociedade carioca do século XIX, aonde um "golpe de mídia" muda os personagens segundo seus próprios interesses. Mídia, dinheiro epoder são os ingredientes dessa comédia musical que "parece ter sido escritapara dias de hoje".A contemporaneidade de Joaquim Manuel de Macedo justifica a utilização de sua dramaturgia traçando um paralelo entre o comportamento social do séculoXIX e o modelo atual.

QUANDO: 04 e 05 de agosto, às 20h
ONDE: Cidadela Cultural Antárctica
QUANTO: R$10 / 5 (estudantes, professores e idosos)


(Ouvimos falar de um ator do quarto ano que está arrasando...confiram!!!!!!)
ATENÇÃO!
A Campanha do Agasalho 2007 está em seu fim! Ainda há tempo de arrumar o guarda-roupa e ajudar a quem precisa!

E chegou o segundo semestre...

Parece que acabamos de fazer Jornal Mural e Zine antes das férias, e já estamos fazendo os de pós-férias...o tempo passou super rápido essas duas semanas, e embora as energias da maioria não estejam tão recarregadas quando necessário, é preciso seguir em frente! O Zine está sendo distribuído, pegue o seu! e o JOrnal você sabe né...no corredor!
Ainda há muito a se fazer neste ano de 2007 e não há tempo a perder! Se esperarmos passar, a vida passa em branco por cima de nós!
Neste segundo semestre o CALHEV continuará trabalhando para por em prática os objetivos e movimentar o nosso corredor.
No começo de Agosto faremos um CASCA e se você quer ajudar, as reuniões continuam sendo às segundas-feiras, às 20:30h, mas com a organização da sala do CALHEV, passam a ser na NOSSA sala!!
Para a Semana da Comunidade estamos preparando uma exposição sobre os 20 anos de CALHEV que serão completados em setembro, quando teremos outras atividades.
Participe das reuniões, movimente sua vida e a do corredor onde você tem passado um tempo precioso que não pode ser apenas gasto, e sim aproveitado!
Venha com suas idéias, com suas reclamações construtivas e veja como será além de tudo, muito divertido!
E não perca, no Jornal Mural, matéria especial sobre a fofoca, e uma coluna “especial”!!!! no zine, um textículo do Brecht...NÃO PENSE BESTEIRA! É um pequeno texto super interessante: "Se os tubarões fossem homens".

Gestão Unimultiplicidade

Envie suas produções também!

Abaixo, material enviado ao email do CALHEV: calhev@yahoo.com.br

480 anos de Maquiavel

Israel Aparecido Gonçalves

Este mês faz 480 anos que Nicolau Maquiavel morreu. Maquiavel, filho de um advogado e pai da Ciência política moderna é um clássico que deve ser lido por todos aqueles que desejam uma melhor compreensão sobre o poder. Suas obras são marcadas por uma análise no realismo político, de uma observação apurada sobre as relações sociais. Maquiavel fracassou como político, pois não conseguiu se manter no seu cargo público por muito tempo. A culpa não é toda sua, pois o que conhecemos hoje como Itália era no século 16 um aglomerado de Repúblicas, Reinos, Ducados, Principados e os Estado Papais, todos lutando contra todos, quando não havia uma invasão estrangeira. Em Florença Maquiavel ocupou uma posição política relevante sendo segundo chanceler da República de Soderini. Nesse período o político Maquiavel pode demonstrar suas habilidades políticas, tentou formar um exército de cidadãos florentinos, ele não gostava das tropas feitas por milícias e conseguiu vários acordos diplomáticos. O cargo que Maquiavel ocupava é equivalente hoje ao ministério das Relações Interiores. Nesta época tudo era flexível e ele acabou atuando em várias secretarias da república e visitando cerca de 20 países. Estas viagens somadas as leituras que teve na sua juventude lhe permitiram uma compreensão global da situação da Europa.
Depois de um tempo, o governo de Soderini é pressionado pelos Médici os quais eram grandes comerciantes na época e tinham uma forte influência nas decisões políticas em Florença. Aliás, o papa Clemente 7ª era um Médici. Soderini sai do comando e Maquiavel acusado de montar um complô contra a família Médici, é preso, torturado e teve que pagar uma grande indenização. O florentino exilado e desejando reaver seu cargo político, agora no governo monárquico dos Médici, escreve em 1513, mas só publicado em 1532, com aval Papal, sua obra mais famosa e lida entre os políticos contemporâneos: O Príncipe. Obra curta com 26 capítulos desenvolve uma investigação sobre as relações sociais e de como um Príncipe deve exercitar o seu poder e como manter seu principado. Para espanto de todo este tratado foi recusado por Lourenço de Médici, cujo livro fora dedicado. Michel Foucault afirma que os críticos de Maquiavel têm uma leitura equivocada da obra máxima deste pensador, pois eles a têm como um livro sobre como governar um principado. A obra trata na sua essência sobre como manter o poder de um principado conquistado. O Príncipe é um livro que permite um Estado de Exceção (Regime Autoritário), todavia, se pegarmos todas as obras de Maquiavel vamos compreender que seu projeto de governabilidade está pautado por uma República e não por um Estado Forte. Maquiavel querendo a união da Itália como um Estado duradouro propõe que isto só ocorrerá sobre o comando de um príncipe, que terá o monopólio das decisões sobre as questões referentes ao Estado, mas este Estado só será consolidado se tiver instituições sólidas e com pessoas livres. Para tanto é necessário uma república.
Maquiavel, assim, triste por não ser reconhecido, continuou bajulando os Médici, conquistando cargos de menor relevância e chegou a escrever a História de Florença. Por ter escrito esta história com certo apoio dos monarcas, Maquiavel foi rejeitado no governo pelos republicanos que assumiram o governo florentino após o curto período monárquico. Tratado como traidor no governo de Médici e não compreendido pelos republicanos, Maquiavel nutrido de Virtú, mas sem Fortuna morre de desgosto em 22 de Junho 1527 aos 58 anos sem conseguir o que desejava sua permanência no governo e principalmente não viu seu projeto maior se consolidar, isto é: a unificação italiana, o que só ocorreu no século 19.


Israel Aparecido Gonçalves: pesquisador do grupo de estudos: Democracia e Instituições Políticas na UFPR, Professor de História do Colégio Exathum e de Filosofia no curso de Pedagogia da UTESC. israel@utesc.br

quinta-feira, 5 de julho de 2007

Agende-se!

Eventos da Semana
05/07
Quinta-Feira
Exposição: Invenção da Memória, do Grupo Diferentemente IguaisMuseu de Arte de Joinville, R. XV, 1.400 - América - 09:00 - 17:00
Exposição PRETEXTO Arte contemporâneaGaleria de Arte victo Kursancew, D. Francisca, 800 - 08:00 - 20:00
Exposição Escola de Artes Fritz Alt - Curso de Cerâmica e Retrospectiva da carreira artística de Mario Avancini Anexo 02 – Cidadela Cultural - Segunda a Sexta, - 08:00 - 12:00
06/07
Sexta-Feira
Exposição: Invenção da Memória, do Grupo Diferentemente IguaisMuseu de Arte de Joinville, R. XV, 1.400 - América - 09:00 - 17:00
Exposição PRETEXTO Arte contemporâneaGaleria de Arte victo Kursancew, D. Francisca, 800 - 08:00 - 20:00
Exposição Escola de Artes Fritz Alt - Curso de Cerâmica e Retrospectiva da carreira artística de Mario Avancini Anexo 02 – Cidadela Cultural - Segunda a Sexta, - 08:00 - 12:00
Conferência Municipal de CulturaFaculdade Cenecista de Joinville - 19:00
Ciclos de Cinema - O CachorroCidadela Cultural Antarctica, rua XV, 1383 - 19:00
07/07
Sábado
Exposição: Invenção da Memória, do Grupo Diferentemente IguaisMuseu de Arte de Joinville, R. XV, 1.400 - América - 09:00 - 17:00
Exposição PRETEXTO Arte contemporâneaGaleria de Arte victo Kursancew, D. Francisca, 800 - 08:00 - 20:00
Exposição Escola de Artes Fritz Alt - Curso de Cerâmica e Retrospectiva da carreira artística de Mario Avancini Anexo 02 – Cidadela Cultural - Segunda a Sexta, - 08:00 - 12:00
Conferência Municipal de CulturaFaculdade Cenecista d Joinville - 10:00
Ciclos de Cinema – O Mesmo Amor, A Mesma ChuvaCidadela Cultural Antarctica, rua XV, 1383 - 19:00
08/07
Domingo
Exposição: Invenção da Memória, do Grupo Diferentemente IguaisMuseu de Arte de Joinville, R. XV, 1.400 - América - 09:00 - 17:00
Exposição PRETEXTO Arte contemporâneaGaleria de Arte victo Kursancew, D. Francisca, 800 - 08:00 - 20:00
Exposição Escola de Artes Fritz Alt - Curso de Cerâmica e Retrospectiva da carreira artística de Mario Avancini Anexo 02 – Cidadela Cultural - Segunda a Sexta, - 08:00 - 12:00
Conferência Municipal de CulturaFaculdade Cenecista d Joinville - 10:00
Concertos MatinaisTeatro Juarez Machado - 10:30
09/07
Segunda-Feira
Exposição: Invenção da Memória, do Grupo Diferentemente IguaisMuseu de Arte de Joinville, R. XV, 1.400 - América - 09:00 - 17:00
Exposição PRETEXTO Arte contemporâneaGaleria de Arte victo Kursancew, D. Francisca, 800 - 08:00 - 20:00
Exposição Escola de Artes Fritz Alt - Curso de Cerâmica e Retrospectiva da carreira artística de Mario Avancini Anexo 02 – Cidadela Cultural - Segunda a Sexta, - 08:00 - 12:00
10/07
Terça-Feira
Exposição: Invenção da Memória, do Grupo Diferentemente IguaisMuseu de Arte de Joinville, R. XV, 1.400 - América - 09:00 - 17:00
Exposição PRETEXTO Arte contemporâneaGaleria de Arte victo Kursancew, D. Francisca, 800 - 08:00 - 20:00
Exposição Escola de Artes Fritz Alt - Curso de Cerâmica e Retrospectiva da carreira artística de Mario Avancini Anexo 02 – Cidadela Cultural - Segunda a Sexta, - 08:00 - 12:00
11/07
Quarta-Feira
Exposição: Invenção da Memória, do Grupo Diferentemente IguaisMuseu de Arte de Joinville, R. XV, 1.400 - América - 09:00 - 17:00
Exposição PRETEXTO Arte contemporâneaGaleria de Arte victo Kursancew, D. Francisca, 800 - 08:00 - 20:00
Exposição Escola de Artes Fritz Alt - Curso de Cerâmica e Retrospectiva da carreira artística de Mario Avancini Anexo 02 – Cidadela Cultural - Segunda a Sexta, - 08:00 - 12:00

Conferência Municipal de Cultura!!!!

Joinville tem sua primeira Conferência de Cultura


A Fundação Cultural de Joinville, em parceira com a comunidade cultural joinvilense, realiza nos dias 6, 7 e 8 de julho, no auditório do Colégio Elias Moreira, a primeira Conferência Municipal de Cultura. O intuito é promover a discussão das questões relativas às atividades culturais promovidas em Joinville, culminando com propostas, projetos e planejamento concretos e visando traçar as linhas norteadoras da uma política cultural participativa. Segundo Charles Narloch, Diretor Executivo da Fundação Cultural de Joinville, a idéia da conferência surgiu de discussões realizadas com comunidade e também com o Conselho Municipal de Cultura. “ O objetivo principal é a integração entre governo e sociedade para uma política cultural participativa e democrática”, completa o diretor.

A programação da conferência abre na sexta-feira, dia 6, às 19 horas, com uma palestra de Sérgio Mamberti, Secretário da Identidade e da Diversidade do Ministério da Cultura. No sábado, das 10 às 18h, os participantes se dividem em grupos para discutir paralelamente cinco diferentes diretrizes, que já foram previamente estudadas e debatidas em pré-conferências setoriais organizadas em maio e junho, reunindo mais de 180 pessoas.

Temas a serem abordados na Conferência:
Câmara Temática de Economia da Cultura – Mediador Charles Narloch. Discussão sobre os benefícios diretos e indiretos que o envolvem as questões econômicas da produção cultural.
Câmara Temática de Formação e Produção Artística – Mediador Luciano da Costa Pereira. Discussão de temas ligados à capacitação de profissionais e inclusão das diversas artes.
Câmara Temática de Comunicação – Mediador Germano Busch. Debate sobre as questões relacionadas à divulgação das atividades culturais e o papel da mídia como incentivador cultural.
Câmara Temática de Infra-estrutura – Mediador Amarilis Laurenti. Levantamento e análise das possibilidades de espaços culturais no nosso município, passando da quantificação à qualificação dos mesmos.
Câmara Temática de Gestão Pública da Cultura – Mediador Gerson Machado. abrange a valorização, qualificação, inserção e o volume de investimentos, na discussão do fomento e gestão financeira.

No domingo, também das 10 às 18h, os participantes se reúnem numa grande conferência para analisar e votar as propostas apresentadas em cada uma das cinco câmaras temáticas e, ao final, produzir um documento único, que será encaminhado pela Fundação Cultural para análise da Prefeitura e Câmara Municipal. Além da programação técnica, a conferência vai contar com diversas intervenções e apresentações de artistas da cidade.

Serviço:
Conferência Municipal de Cultura
Dias 6, 7 e 8 de julho
Auditório do Colégio Elias Moreira (Rua eugênio Moreira)
Inscrições gratuitas, que podem ser feitas antecipadamente na Fundação Cultural de Joinville ou durante o evento, no Colégio Elias Moreira.

Mais informações com Charles Narloch, pelo telefone 8402 4630 e Silvestre Ferreira, pelo telefone 9972 2035. A inscrição é gratuita, na Fundação Cultural de Joinville ou no local do evento.

CARTA ABERTA A COMUNIDADEM JOINVILLENSE

O Centro Acadêmico Livre de História Eunaldo Verdi (CALHEV), entidade representativa dos estudantes universitários de História na Universidade da Região de Joinville (UNIVILLE), vem através dessa carta aberta apresentar seu posicionamento contrário ao aumento de passagem do transporte coletivo na cidade de Joinville-SC.

A alteração sugerida pelas empresas Gidion e Transtusa para o aumento da passagem, que de acordo com a mídia local "passaria de R$ 1,95 para R$ 2,18 e o vendido dentro do coletivo de R$ 2,40 para R$ 2,73.", a qual o Prefeito Marco Tebaldi é responsável direto pela sua aprovação, é inaceitável por dois motivos principais. Primeiro inviabiliza economicamente o acesso dos estudantes universitários ao campus, visto que além de gastos com transportes existem outros como mensalidades (R$ 502,00 uma das com preços mais baixos), alimentação, livros, cópias de textos e afins. Também deve ser lembrado que esse percentual de ajuste da tarifa não acompanha a realidade do aumento salarial dos trabalhadores joinvillenses, alargando ainda mais o arrocho salarial, contribuindo por uma menor qualidade de vida.

O processo de reajuste do valor das passagens em nossa cidade é caracterizado por medidas pouco democráticas. As empresas fazem a solicitação a Secretaria de Infra-estrutura Urbana de Joinville (SEINFRA) e o Prefeito Marco Tebaldi, se concordar, assina. Historicamente diversas entidades e movimentos sociais fomentam uma reflexão sobre a abertura com a comunidade da discussão acerca do processo de aumento das passagens, desde uma ponderação e deliberação da Câmara de Vereadores/as à criação de um Conselho Municipal de Transporte Coletivo, ampliando assim as relações democráticas na sociedade joinvillense.

Outro ponto importante é o momento oportuno às empresas do encaminhamento do processo de reajuste da passagem, sendo em período de recesso escolar do ensino fundamental, médio e universitário. Desse modo, fica evidente a postura de fuga do dialogo com o movimento estudantil, um dos principais setores que sofrerá as conseqüências desse possível aumento. Em razão disso, torna-se essencial essa mobilização dos/as estudantes do curso de História da UNIVILLE, como também dos demais cursos universitários, tanto dessa instituição como de outras faculdades da cidade, sem esquecer os estudantes da rede Pública e Privada.

Desse modo buscamos por meio dessa carta chamar a atenção de todos os estudantes e toda comunidade de Joinville, sobre a necessidade de um debate e da participação efetiva nas mobilizações em seus bairros, em suas escolas e nas ruas. Assim, vamos encaminhar o que for necessário para elevar nossas vozes de contestação e reflexão sobre mais um aumento de passagem em nossa cidade.

Gestão Unimultiplicidade