quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Blá Blá e Blá!

O CALHEV deseja a todos um final de ano muito bom, renovador de fato...

Que possamos estar com pessoas que gostamos (e aquelas que não gostamos tanto mas que nessa época a convivência é necessária!!!), nos divertir, esquecer por instantes os problemas e as dificuldades e sonhar!

Que tenhamos um Natal muito bom, sendo cristãos ou não, que possamos encontrar nesse período um momento de reflexão acerca da vida, do que passamos este ano, sejam coisas boas ou ruins, que possamos respirar, olhar adiante e fazer planos para o próximo ano.

Talvez não realizamos os nossos sonhos por completo, mas enquanto sonhamos, temos vida dentro de nós. Se pararmos de sonhar, que significado ela terá?Então, em vez daquele clichê todo de Feliz Natal, Feliz Ano Novo e tudo o mais (que ainda assim o CALHEV deseja), desejamos que não paremos de sonhar e que aproveitemos esses dias mais relaxados (nem tanto para alguns, mas é a vida de proletário minha gente!!!) para sonhar 2008.

Que no próximo ano estejamos renovados para lutar por esses sonhos e que contemos uns com os outros para horas boas de contemplação do sonho realizado e para as horas difíceis onde eles parecem estar distantes demais.

O CALHEV também sonha! Que em 2008 possamos ter um ano ainda mais produtivo que 2007, que possamos fazer um trabalho mais completo pelo nosso curso e colegas!!

Um forte abraço e afinal de contas, BOAS FESTAS!!

CALHEV
Gestão Unimultiplicidade

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

COREHI!

FEDERAÇÃO DO MOVIMENTO ESTUDANTIL DE HISTÓRIA

DIRETÓRIO ACADÊMICO DE HISTÓRIA – DAH/FAPA

CONVOCATÓRIA PARA O CONSELHO REGIONAL DE ENTIDADES DE HISTÓRIA – COREHI/SUL

O DAH/FAPA – Diretório Acadêmico de História RE-ATIVO/FAPA e a FEMEH – Federação do Movimento Estudantil de História, convocam os CA's e DA's de História de toda região sul a participarem do COREHI - Conselho Regionla de Entidades de História – SUL – a realizar-se no dia 15 de Dezembro de 2007 na Universidade Federal do Paraná/UFPR

ORGANIZAÇÃO: Conforme as resoluções do último conseslho regional de História , que o ocorreu no Encontro Nacional em Mato Grosso ENEH/UFMT, realizado de 02 a 09 de sembro na Universidade Fderal de Mato Grosso , convocamos a todos membros dos diretórios acadêmico e estudantes enteressado em estarem organizando o próximo encontro Reginal de História e a organizar o movimento estudantil de História da região sul. Pois as lutas que teremos que enfrentar durante o ano de 2008 como educação pública e popular, abertura dos arquivos da ditadura e as lutas com os movimentos socias so poderam ser construídas coletivamenete e com o extremo contatoentre os DA’s e CA’s.

O Conselho acontecerá no dia 15, das 10hs às 17hs, com previsão de pausa para almoço das 12:00h às 13:30h. O custeio da alimentação fica por conta de cada entidade e estudantes com o lugar a ser definido. Caso for necessário haverá estadia para os participantes do conselho.

As pautas deverão ser vencidas até o horario proposto devido ao fato de não termos alojamento para os participantes.

O local do conselho será no Centro Acadêmico de História da UFPR localizado na Rua General Carneiro, 460 – Edificio Dom Pedro I, 6º Andar , Centro de Curitiba/PR.
Campus Reitoria da UFPR.
( Rua do Mercado Municipal, em frente a rodoviária)

SUGESTÃO DE PAUTA:
Ø Informes;
Ø Organização do EREH/ 2008, UFPR/Curitiba. CAHIS/UFPR;
Ø Orgnaização da ida ao ENEH/2008, em Minas Gerais;
Ø Organização da FEMEH – SUL (articulação da comunicação com os estudantes) ;
( articular uma atividadede no inicio do semestre que congregue todos estudantes, DCE, D’As/C’As do movimento estudantil da História)

Obs: a pauta proposta poderá ser rediscutida durante o COREHI.

Portanto, existe a possibilidade de mudança, inclusão ou exclusão de pontos da mesma.

DIRETÓRIO ACADÊMICO DE HISTÓRIA RE-ATIVO - DAH/FAPA

“NÃO VIEMOS ATÉ AQUI PARA DESISTIR AGORA”

Endereço eletrônico: dahmafalda@gmail. com

Relatório do Conselho Estadual de Entidades de História - COEEHI

FEDERAÇÃO DO MOVIMENTO ESTUDANTIL DE HISTÓRIA - FEMEH/SUL

DIRETÓRIO ACADÊMICO DE HISTÓRIA – DAH/FAPA

Relatório do Conselho Estadual de Entidades de História - COEEHI

O Conselho estadual ocorreu no dia 01/12, (sábado), na casa de estudante da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Iniciou às 11h e estendeu-se até às 16h. Contou com a participação dos representantes do diretório acadêmico da UFSM, UCS (Universidade de Caxias do Sul), UNISINOS e FAPA. Os objetivos do conselho foram estarmos organizando o movimento estudantil do estado do Rio Grande do Sul através de um contato maior entre as escolas. E trazer as escolas que estão afastadas do ME, como as do interior, em tornos das atividades da FEMEH como os calendarios de lutas com os movimentos populares, encontros estaduais, reginais e nacionais. Sendo assim, foram discutidas as segintes pautas: informes, COREEHI, EGEH e FEMEH-SUL (cominicação e atividade da femeh/sul que articule o ME da região).

Segue abaixo as pautas com suas deliberações.
Informes
· O camarada do CA/UFSM informou sobre um interdito baixado pela direção da universidade sobre os estudantes onde os mesmos estão proibidos de qualquer manifestação na universidade, podendo os mesmos serem expulsos da universidade.
· Os camaradas da UNISINOS propuseram pautas de lutas do ME que construisse uma unificação do movemento. E ressaltou a necessidade do ME também se voltar em torno de atividades que discutam a regulamentação do ensino privado.
· O DA/FAPA informou a situação do ME da faculdade onde os D’AS e o DCE estarem proibidos de passarem em sala de aula. E o plebicito a ser realizado na instituição para os estudantes decidirem sobre a passgem em sala de aul; contruibução para o ME no DOC; diminiução dos dias da semana acadêmica dos cursos, atualmente são 5 dias e a direção quer restringir a 3 dias. Medidas estas propotas pela direção, o que joga o corpo discente contra os D’As e o DCE.

COREHI.
· Tiramos uma proposta de data para o conselho regional no Paraná para o dia 15/12. Os represntantes presentes no conselho confirmaram desde já a participação no conselho de representantes dos respectivos D’As/C’As.
· A FEME/SUL fica por conseguir com a escola sede do enconcontro regional 2008/UFPR se existe um projeto do encontro para que possamo discutir estadulamente propostas para a construção do encontro.
· Houve uma proposta do compa do D’A da UFSM em relação ao regional que se formasse grupos de trabalho no encontro. Para que desta forma a organização não se sobrecarregue das atividades e também possam participar do encontro. Grupos que pudessem contruibuir na organizaçõ estrutural do encontro.

EGEH.
· A escola sede do encontro, D’A/UNISINOS, estva com dificuldade de iniciar a organização do encontro devido aos problemas de data., já que em 2008 serão raros o feriados. Em nossas discuções tirmos a data do encontro para os dias 30,31 de maio e 1º de junho ( sexta, sábado e domingo). Não tiramos datas anterior e nem posterior porque temos o regional no Parná e o encontro nacional em Minas Gerais para nos organizarmos.
· A escola sede esta se propondo construir o encontro juntamente com as demais escolas. No sentido de que todos possam construir as mesas e pautas do encontro enviando nomes de professores e mesas a serem discutidas. Para isto a escoal fica disposta receber sugestões até o final de abril de 2008.
· O DA fica de envia até o mês de dezembor um proposta de grade de atividades, que não será fechada, para que as escolas interessadas possam acresentar ou discutir pautas construindo assim coletivamento o encontro.
· O tema do encontro será “ Os 40 anos do maio do Maio de 68”. O econtro acontecerá na escola pública Pedrinho, centro de São Leopoldo.
· O valor da inscrição ficou em R$ 20,00 reais ( com certificado, alimentação e estadia). O certificado será entregue no final do encontro.
· Tiramos que as comunicações a serem apresentadas sejam voltadas ao tema do encontro. Mas isto não signica que outros trabalhos não possam ser apresentados.

FEMEH-SUL
· Em relação a FEMEH centramos o debate em torno da necessidade de fortalecer a comunição entre as univesidades da região uma vez que existem muitas escolas que desconhecem o moviemento estudantil da História e muitas outras estão afastadas por falta de comunicação.
· Tiramos um contato maior com comunidades acadêmicas que estão no orcut, e a construçãodo orcut da FEMEH-SUL.
· Construção de um periódico mensal com os informes sobre as escolas e as lutas que estiverem acontecendo na região. Para que possamos imprimir e distribuir nas universidades divulgando as lutas do movimento estudantil. O DA de Santa Maria se propos a fazer o primeiro exemplar do pereiódico.
· Construção de um blog da femeh-sul, o camarada do DA/UNISINOS se propos a construir o blog com a Debora do DA/ FAPA.
· Construção de pautas regionais que unifiquem o ME como a educação pública e popular, abertura dos arquivos e a regulamentação do ensino privado.
· Por último tiramos uma atividade cultural em março da femeh que possa trazer as universidades da região sul. A proposta é que seja um festival de bandas com carter político informativo e construtivo do movimento estudantil da história da região sul. Estão abertas propostas para esta atividade e é de estrema importância que outras escolas se envolvam além da FEMEH/SUL.

DIRETÓRIO ACADÊMICO DE HISTÓRIA RE-ATIVO - DAH/FAPA

“NÃO VIEMOS ATÉ AQUI PARA DESISTIR AGORA”

Endereço eletrônico: dahmafalda@gmail. com

Discotecagem no Stupp.Dj Marcius, Gugues e outros: - O CALHEV convida e recomenda!





Maikon K, ex-presidente do CALHEV é um dos convidados.

Vai iniciar ajeitar a agulha e apertar o play nos LP`s por volta das 22 horas.

Entre as bandas selecionadas estarão os discos de Clash, Against Me!, No Hope for the kids, Mano Negra, Bikini Kill, Tribe 8, 7 year Bitch, Wasted, Rhythm Actvism, The Plungers, This is my Fist, New Model Army, Observers, Tom Waits...

Entrada Franca

Local: Bar Stupp - Na esquina da rua João Colin com Max Colin [ Na frente da antiga Prefeitura Municipal ]

Data: 14 de dezembro de 2007.

Começa às 23 hs.

Confira!

domingo, 2 de dezembro de 2007

OBJETIVOS

Não fizemos tudo o que pretendíamos, mas fizemos várias coisas, não podemos apenas apontar as falhas né? Reuniões periódicas, Jornal Mural, Zine, CASCA´s, Cultura, Comunicação, Exposição 20 Anos do CALHEV, viagem a Porto Alegre, entre outras coisas destes seis meses!
Foram seis meses intensos, mesmo com os percalços. E esperamos outros seis meses ainda mais intensos, e com uma participação maior!
Faremos aqui uma relação dos objetivos de campanha e o que foi (ou não) feito:

- Buscar maior apoio e identificação dos demais acadêmicos com o CALHEV
Conversar no corredor, entradas em sala de aula, eventos, periódicos e outras coisas foram feitas pelo CALHEV, dispondo-se aos demais alunos do curso, procurando-os, chamando-os a participarem. Mas tudo é uma faca de dois legumes, como dizia o poeta!

- Manuteção da autonomia e postura crítica do CALHEV
Mesmo sem constantes brigas, o que não é necessário todo o tempo, o CALHEV mantém sua autonomia e postura crítica em relação ao Departamento, ao DCE e em geral. Com o Departamento e o DCE, apesar das discordâncias, a ausência de brigas proporciona um clima de discussão, o que tem dado resultados positivos para ambos os lados. A crítica, quando bem feita e bem colocada, ajuda a crescer.

- Ampliação de CASCA´s, Cine CASCA´s, Jornal Mural e Zine
Alcançado. Aproveitamos o espaço para agradecer aqueles nossos cantores e artistas que colaboraram nos CASCA´s e demais eventos, sempre que solicitados. E aqueles que ainda não o fizeram e querem, nos procurem!
E apesar de todos os pedidos e do espaço aberto, poucos acadêmicos colaboram com o Jornal Mural enviando suas produções. Mais uma vez, o espaço é aberto: desenha? Recorta? Cola? Pinta? Fotografa? Escreve? Mande para o Herzogão!

- Fomentação cultural
Através do Jornal, do Zine, dos eventos que divulgamos e dos que realizamos, temos buscando fomentar a cultura em nosso meio. Existem idéias ainda não realizadas, de eventos especiais para isso.

- Reuniões periódicas
Esse ano nossas reuniões ocorriam às segundas, no intervalo. Quando não tivemos, foi por motivos justos (outras reuniões, eventos, provas, trabalhos, turmas dispensadas, etc). No próximo ano, será escolhido um dia propício!

- Manter, estreitar e alcançar novas parcerias (entidades estudantis e movimentos sociais)
Mantivemos ligação com o MPL, em alguns momentos com CMI e Ielusc, mas nos falta muito nessa área. Só não falta vontade!

- Revitalização e ampliação do Banco de Textos
É um longo trabalho e novela de outras gestões que já iniciou e tem desenvolvido seu enredo. Outras gestões já fizeram uma pré-divisão e algo relacionado às referências. Nós organizamos (faxina mesmo!) a sala do CALHEV para torná-la mais acessível e com a organização da exposição dos 20 anos do CALHEV, esvaziamos o arquivo de ferro destinado ao banco de textos. Um começo para nossa gestão, que ainda espera chegar ao fim dessa novela!

- Participação ativa na criação de programas de intercâmbio para História
Fomos em busca, tivemos reunião com o Reitor e o pessoal do Arni. Estabelecemos contato com universidades e institutos Franceses e Portugueses, mas com o envolvimento em outras atividades e percalços na vida dos interessados envolvidos nisso, deixou-se o projeto de lado. Caso você tenha interesse, manifeste-se e o CALHEV irá lhe ajudar a correr atrás disso. Não é impossível, mas também não cai do céu!

- Reflexão sobre os rumos de licenciatura
Temos participado de algumas discussões, expressado nossas opiniões e para o próximo ano será colocado em prática o projeto do movimento de reflexão e ação, conjunto com outros CA´s de licenciatura da Univille.

- Estreitar contato com a família de Eunaldo Verdi e promover os projetos relacionados à vida de nosso patrono
Já tivemos uma ligação com D. Margareth e Tiaraju. Ela esteve presente na Exposição dos 20 anos do CALHEV, participou e doou livros e continuamos em contato com eles. O CALHEV quer realizar o sonhado projeto de um livro a respeito dele e tem discutido sobre o assunto. D. Margareth quer doar materiais, e assim, matemos o contato e viva a memória de alguém que inspira quando se fala em movimento estudantil e fomentação cultural.

PALAVRA DA DIRETORIA



Deixamos nosso material de campanha guardado quando nos elegemos, em maio, porque queríamos nós mesmos, avaliarmos o desenrolar de nossa postura e o alcance de nossos objetivos. E chegou a hora de fazermos isso com o curso. Não se trata de qualquer espécie de demagogia, e sim, da vontade de que o CALHEV seja, de fato, a representação dos seus membros. Para isso, montamos uma chapa, reunimos idéias, as expusemos e pedimos o apoio há seis meses.
Ao fim desses seis meses ficamos felizes com o que conseguimos fazer e com as pessoas que se envolveram. Mas ainda não é o bastante. Nem de atividades, muito menos de envolvimento dos membros. Está sendo um ano diferente do comum. O curso não está mais tão apático, silencioso, mas está mais retraído em suas salas, cuidando de suas próprias vidas e problemas, sem se ocupar de coisas mais além.
E não há a necessidade de nos conformarmos com isso. E nós, do CALHEV, somos especialmente inconformados. Sonhamos com um envolvimento maior, para podermos realizar mais atividades, mais atuação nos movimentos estudantil e sociais.
O curso de História é respeitado pela postura crítica de seus alunos, pela atitude e envolvimento destes. Mas, atualmente, estamos distantes de merecer este respeito. Vemos alunos conformados com o que vêem distantes, e alienados de qualquer atividade contestadora.
Nunca há unanimidade, mas ousamos dizer que estamos num dos momentos mais crítico da história do CALHEV. Em tempos onde era muito difícil expressar opiniões, lá estavam os alunos de boa aberta!
Atualmente nossa opinião deve ao menos ser ouvida, não há proibições de falar. (Sermos atendidos é outra questão, claro) Mas não existem muitas vozes empenhadas em se fazer ouvir.
Há muito mais na faculdade do que vir às aulas, pagar as absurdas mensalidades e no fim dos quatro anos ganhar um belo diploma verde. E na vida também. A realidade não precisa ser aceita. Ela pode ser contestada, podemos buscar transformá-la, fazendo nossa parte. Fazendo-nos ouvir. Mas isso exige esforço e nem todos estão dispostos a isso.
O que nós queremos com tudo isto e com esta avaliação é incluir você nisto, tentar influenciá-lo com a nossa vontade de fazermos algo por nós, pelo curso, por mudar aquilo que criticamos. Porque não basta criticar apenas por mostrar o que consideramos errado. É preciso fazer algo, sair do lugar confortável e ir em busca do que se acredita!

GESTÃO UNIMULTIPLICIDADE



Ao relermos o que escrevemos há seis meses, no período de campanha, chegamos a ficar felizes pois mantêm-se o que dissemos, e a nossa postura. A chapa reduziu-se pela metade, mas outros somam-se no caminho, e somos ainda diversos, unimúltiplos. Estilos, séries, e idéias diversas que se conjugam horizontalmente, tendo todos o mesmo tom de voz, de ação.
Pensamos nas experiências de outras gestões para potencializar a nossa atuação. Queríamos desenvolver um CA antenado ao curso, representando os acadêmicos e o curso frente à Univille, ao Departamento e aos movimentos estudantil e sociais.
Firmando a postura crítica e autônoma, nos propusemos a buscar atender de forma democrática as necessidades dos acadêmicos e do curso. Buscando também o apoio do maior número possível dos membros para promover a identificação dos mesmos com seu CA.
Seis meses depois, a postura crítica e autônoma é algo estabelecido, uma base firme de nosso Centro Acadêmico. A horizontalidade também se tornou algo praticamente natural. Existe a brincadeira com nosso ilustre presidente e responsabilidades pertinentes ao secretário e à tesoureira, mas na prática, nas reuniões, não existe ninguém subordinado ou inferior. Todos tem a mesma voz e a mesma abertura. Uns são mais quietos, outros mais falantes, mas isto não configura qualquer superioridade, pois as decisões são tomadas juntas.
E temos buscado nos “antenar” ao curso, ver gostos e idéias que agradem, que envolvam os alunos. Mas nem sempre temos sucesso. Quanto à representação, temos desenvolvido uma relação de parceria crítica com o Departamento, estando abertos às críticas deste e este às nossas. Não há uma procura dos alunos ao CALHEV para resolver problemas com professores e coisas relativas ao Departamento, possivelmente por desconhecimento dessa possibilidade e pela abertura que encontramos em nosso Departamento para fazermos isso diretamente.
Em relação aos movimentos estudantil e sociais, temos falhado, pois não temos saído dos limites da Univille para isto. Reitorias ocupadas pelo Brasil, e a maioria de nós, alheios a isso. Não deveria ser essa nossa atitude. Em relação ao movimento estudantil da Univille, estamos nos reafirmando como curso ativo e crítico através das atividades desenvolvidas pela diretoria do CALHEV. Somos membros da diretoria do Conselho de Entidades Estudantis e tivemos atuação intensa no processo eleitoral, e somos praticamente o único CA desse conselho que não está envolvido ideologicamente, fraternamente, ou outras formas, com a gestão do DCE. Somos voto vencido, dada a não-participação de outros CA´s autônomos. Somos no Movimento Estudantil da Univille, respeitados pela postura autônoma e o envolvimento intenso. Bom seria se assim fosse em relação à cidade, ao Estado, à FEMEH-Sul...chegamos lá, quem sabe!
Continuamos em parceria com alguns movimentos sociais, principalmente o MPL, mas também é pouco!
Estamos fazendo o que tem sido possível, e acreditem, o ano está puxado para todos! Muitos sonhos ainda não foram alcançados, mas “os sonhos não envelhecem” (Milton Nascimento).
Venha conosco, ainda restam seis meses e com a ajuda de mais pessoas poderemos chegar mais perto disso tudo que ainda não foi feito e das mudanças que acreditamos serem necessárias!


(e estamos vendo que com mais pessoas, o barulho é maior!)

Avalição do CALHEV

Anexaremos aqui material produzido para a avaliação do CALHEV que ocorreu na última semana :)
Os resultados serão analisados assim que nossos cérebros, após um final de ano louquíssimo voltarem a se concentrar em alguma coisa!!!!!!!!

Dia 22/11 a Gestão Unimultiplicidade completa seis meses em atividade. É hora de parar, pensar, discutir relação e fazer planos para os próximos seis meses! Muito se fez se deixou de fazer e ainda há muito pela frente.
Tivemos baixas na diretoria e o envolvimento de todos ainda é escasso. Mas isto, por pior que seja, é algo que sempre ocorre e acaba por se esperar, contudo, ainda sonhamos mudar essa situação.
Nos próximos dias iremos passar nas salas, e o que for possível no corredor, com os formulários de avaliação. Participe, seja sincero e avalie-se também.
A partir dessa avaliação queremos estabelecer novas propostas, ações e melhorar o que está indo bem. Temos feito o possível para representarmos a nós todos no Movimento Estudantil da Univille, realizarmos atividades no curso e etc., mas não é o bastante. Precisamos de você também. E não é por nós, é pelo nosso curso.
Então, aproveite para fazer sua crítica, mostras suas idéias, aquilo que acha que está faltando e venha junto buscar isso!


Gestão Unimultiplicidade

+ algumas






(algumas) fotos do dia do "Cadê?" 29/11






Cadê o DCE?

Cadê a discussão?

Cadê a planilha?

Cadê vc aqui?


(algumas) fotos do dia do "Cadê?"

sábado, 1 de dezembro de 2007

À COMUNIDADE ACADÊMICA DA UNIVILLE



O Centro Acadêmico Livre de História Eunaldo Verdi – CALHEV e o Centro Acadêmico de Letras vêm por meio desta carta aberta esclarecer e tornar público as discussões acerca do aumento da mensalidade de graduação.
Desde o dia 20 de Novembro, quando ocorreu a primeira reunião entre o Conselho de Entidades Estudantis (CA´s) e o DCE – Diretório Central dos Estudantes, com pontos de vista variantes entre conformidade e contrariedade, vinha se discutindo meios de diminuição e discussão, uma vez que o DCE foi informado de que seria pequena a flexibilidade e não haveria espaço para discussão.
Ainda nesta semana, no dia 23, tivemos outra reunião, com mais estudantes presentes, quando se estabeleceu uma comissão de representantes de 5 Centros Acadêmicos, responsáveis por coordenar a discussão e as atitudes, dependendo sempre, do aval do DCE que é o órgão competente para estes fins. Para o dia 26 ficou marcada uma nova reunião, onde a comissão, dentro de suas áreas de conhecimento, iria, junto com os demais estudantes presentes nesta reunião, discutir um documento a ser entregue, solicitando a discussão do aumento. Foi elaborado um panfleto divulgando tal reunião e o DCE se responsabilizou de distribuir. Não o fez.
No dia 26, a participação nesta reunião foi mínima, sendo que nos reunimos em sala de aula, esperando grande participação, caso tivesse sido feita a divulgação. Como encaminhamentos, foi feito o documento e seria marcada uma reunião com Pró-Reitores e Reitor para apresentá-lo. Como a Reitoria só dialoga com o DCE, acordou-se que este faria o agendamento. Sendo que há proximidade, uma vez que o reitor em exercício no dia da posse compôs a mesa de posse.
Hoje, 27, fomos ao DCE e ninguém sabia se havia sido ou não sido marcada a reunião e a disposição para tal foi decepcionante. Em resumo, discutiu-se, discutiu-se, e algumas pessoas se engajaram na luta em defesa dos estudantes. A Gestão Movimento Universitário em Defesa dos Estudantes foi omissa várias vezes, além de mostrar-se conformada com o aumento na primeira reunião. Sem contar que o Presidente do DCE afirmou que a mobilização não daria em nada, que não adiantava ir contra.
Não nos cabe neste momento julgar a postura do DCE. Faremos isso mais a frente, com certeza. O que nos move neste momento é o aumento das mensalidades. Levaremos adiante essa mobilização, e contamos com o seu apoio. Nesta quinta-feira, será a votação para o aumento das mensalidades. Os Chefes de Departamento votam. Converse com o seu, dialogue, pressione.
A reunião será às 19h30min. Estaremos nos reunindo por volta de 18h30min na área externa ao prédio da Reitoria, pois a votação será no auditório. Participe. A mobilização será pacífica e pretendemos apenas discutir e negociar esse aumento, usufruindo de um espaço de práticas democráticas dentro de uma Universidade, lutando pela permanência dos alunos em seus cursos, com mensalidades acessíveis.
Participe!

Notícias

Estamos vivenciando nos últimos dias o renascimento da mobilização estudantil na Univille, o que muito nos empolga, mas que por outro lado, é relativo à uma pequena parcela, principalmente pelo fato do DCE Gestão MUDE - Movimento Universitário em Defesa do Estudante, nada fazer pelos seus pares.

Anexaremos a seguir a carta que foi divulgada às pressas e por isto acabou não vindo para o blog, explicando os últimos acontecimentos e convidando para a mobilização do dia 29.

Foi uma noite muito significativa para o movimento estudantil.

Dois CA´s constituídos e diversos outros cursos representados lutando por um espaço de discussão do aumento das mensalidades, coisa que em uma UNIVERSIDADE não foi feita. E que segundo o reitor, tinha espaço para ser discutida com um DCE.

Questionando um DCE omisso. Que chamou reunião e se apresentou com tom de conformidade e pessimismo. Que que jogou suas responsabilidades nas costas de uma comissão que deveria acompanhar e auxiliar e "esqueceu" de algumas coisas encaminhadas, como o caso dos panfletos e da reunião que deveria ser marcada. Um DCE que achou que CA`s iriam fazer o que foi eleito para fazer no espaço da Universidade como um todo.

Questionando um DCE que tem voto no Conselho de Administração e tem seu representante que só pode ser substituído oficialmente. E que acusa os membros da comissão que foram designados para discutir o aumento na reunião que o DCE marcaria ANTES da votação com o reitor como se estes fossem os responsáveis pela sua inexistente atuação. E a reunião não marcou, não se sabe o porquê.

No dia da votação do aumento das mensalidades, o representante designado pelo exmo. presidente do DCE se omitiu na votação, representando, claro, o interesse dos estudantes.

Questionando ainda os chefes de departamento com seus maravilhosos discursos em sala e partidários, que na prática não existem. Que debocham, que dizem que a culpa é nossa por não ter um representante que vote a nosso favor.

Não elegemos esse DCE e não nos contentaremos com essa peleguice.

O aumento foi votado e a seleção natural continua. Afinal, para que gente que não pode pagar na universidade? Não pode, não faz. Oras bolas!

Mas não desistimos tão fácil! A luta é contra um DCE pelego, contra uma universidade que não abre espaço para discussão, dizendo-se democrática. Contra uma realidade que nossos professores falam, falam e falam. E não fazem.

Junte-se a nós, segunda-feira nos reuniremos no corredor de História para traçarmos as próximas atividades. É hora de se fazer ouvir!