quarta-feira, 27 de maio de 2009

ELEIÇÔES DO CALHEV - 27/05 - quinta-feira

Como definido na reunião do CALHEV de terça-feira, 26/05, as Eleições do CALHEV foram adiadas para amanha, quinta-feira, dia 27/05.

Os horários permanecem os mesmos: das 18:30 as 19:00 e das 20:30 as 21:00. Assim como a data de posse da nova gestão, que será dia 03/06/2009. No intervalo.

O motivo da mudança da data é o Grande Ato contra o aumento da tarifa do transporte coletivo, que será hoje, a partir das 18 horas na Praça da Bandeira, participe!

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Mudança na Eleição do CALHEV

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO DO
CENTRO ACADÊMICO LIVRE DE HISTÓRIA “EUNALDO VERDI” - ALTERAÇÃO


O Presidente do CALHEV – Centro Acadêmico Livre de História “Eunaldo Verdi”, Gestão 5 de Maio, no uso de suas atribuições, juntamente com a Comissão Eleitoral do CALHEV, para as eleições da gestão 2009/2010, torna público o Edital de alteração do Edital de Eleição do CALHEV gestão 2009/2010.

A alteração se justifica pela inviabilidade da data prevista, por motivo das mobilizações contra o aumento da tarifa do transporte coletivo. Assim, o presidente do CALHEV, Gestão 5 de Maio, no uso de suas atribuições convoca os alunos do curso de História para:

- Eleição do Centro Acadêmico para gestão de 2009/2010.

A eleição ocorrerá no dia 27/05/2009, das 19:00 horas às 21:00 horas, no corredor de História, Bloco A do Campus Universitário.

A Campanha irá acontecer até o dia 22/05/2009.

A posse da nova gestão será no dia 03/06/2009

Joinville, 20 de maio de 2009.


_______________________________
Felipe Rodrigues da Silva
Presidente do CALHEV

sexta-feira, 15 de maio de 2009

ELEIÇÕES DO CALHEV - Chapa 8 de maio.

Relembramos que as eleições do CALHEV, que acontecerão na semana que vem, na quarta-feira, dia 20 no corredor de história, antes da aula e no intervalo.
Informamos também que tivemos apenas uma chapa inscrita, a chapa "8 de maio", e que, por causa do aumento da passagem de ônibus, e todas as ações que temos tentado com relação à isso, a campanha das eleições do CALHEV vai ser prorrogada por mais dois dias, indo até o dia anterior à eleição, na terça-feira, dia 19, para que os representantes da chapa tenham oportunidade de passar nas salas, já que este é o próximo dia em que todas as turmas estarão em nosso corredor. Desculpe-nos pelo transtorno e pela alteração do edital, mas é uma situação emergencial.
A seguir as propostas da Chapa "8 de maio".
Chapa 8 de maio

Bruno - 2º ano – presidente
Fernando - 1º ano – vice
Marluce - 2º ano – secretária
Tobler - 2º ano – secretário
Felipe Bello - 1º ano – tesoureiro
Gabriel - 1º ano – tesoureiro
Marcelo – 3º ano
Willian –1º ano
Guilherme – 3º ano
Thiago – 1º ano
Felipe – 4º ano
Douglas – 4º ano

Por um Centro Acadêmico de Luta, voltado às reivindicações dos estudantes e suas bandeiras, com objetivo de lutar pelo acesso à educação e à democracia, na instituição e na sociedade.

Propostas:

1) Reforma Estatutária.

O atual, e/ou antigo, estatuto do CALHEV necessita ser reformado, nossa chapa considera que - além das adequações necessárias no que diz respeito às normas jurídicas –, é necessário transformar a diretoria do CALHEV num colegiado, onde ficam extintas as peculiaridades de cargos (presidente, secretário...) assim todos/as que compõem a gestão terão a mesma função e responsabilidade, o que também minaria (pelo menos no papel) o “protagonismo” e a acumulação de tarefas pelo presidente, que na prática – apesar do discurso de horizontalidade das últimas gestões –, vem acorrendo nos últimos anos.

A simples mudança no estatuto não garante que todos/as participantes da gestão trabalhem da mesma forma e intensidade, mas já é um primeiro passo, e, um rompimento com a estrutura hierárquica do estatuto de nosso Centro Acadêmico. Vale lembrar que para fazer tal mudança é necessária a aprovação em assembléia do curso. Com espaço para a discussão e a defesa, ou não, dessa mudança.

2) Lutas.

Movimento Estudantil.


O presente de burocratização e estagnação do Movimento Estudantil, tanto na Univille como em todo Brasil, resultado não só da falta de uma "grande luta", mas também pela atual conjuntura política do país – que, através de reformas neoliberais e assistencialistas na educação, apoiadas por uma UNE cooptada pelo governo Lula, vem freando há tempo às ações e o debate estudantil –, não tira a responsabilidade de uma entidade como Centro Acadêmico de História ser um instrumento de luta. Temos como metas:

- Lutar em todos os espaços possíveis, no CEE e no DCE.


- Aproximar o nosso curso da FEMEH e de suas lutas.

- Lutar pelo não aumento da mensalidade na Univille, que todo ano aplica um reajuste baseado apenas em cálculos, esquecendo a tão propagada razão social da Universidade, que não visa lucro, mas sim ser acessível à comunidade joinvilense e promotora da inclusão social.

- Fomentar o debate de uma Universidade pública, acessível e de qualidade. Colocando –se crítico a atual gestão e ao modelo administrativo da Univille. Somos contra as privatizações dos serviços na Universidade (estacionamento, restaurante, acessoria de cobrança, serviço de cópias), pois é uma contradição, a Univille justifica o preço das mensalidades: diz reverter todo dinheiro aos acadêmicos na forma de melhorias e investimentos, a menos que essas empresas terceirizadas trabalhem de graça, de alguma forma, nosso dinheiro está parando no bolso de setores privados.

Movimentos Sociais.

Nossa chapa se compromete a estar atento e ser um braço atuante nas lutas da cidade, participando de frentes de luta, das manifestações, dos movimentos sociais e demais reivindicações da sociedade civil onde possamos nos inserir.

3) Comunicação

Entendemos que a comunicação é um instrumento fundamental para a luta, dessa maneira, procuraremos otimizar os espaços que o CALHEV dispõe, para informar, convocar e debater sobre o movimento estudantil e as lutas da cidade.

Zine

Apesar de ser um espaço pequeno e limitado é importante por se tratar de uma mídia impressa, por isso deve ter o caráter quase que panfletário, dando preferência aos textos próximos a nossa realidade e escrito pelos/as estudantes, com todo respeito aos que se dispõe a divulgar seus trabalhos artísticos no Zine, consideramos que esse não é o espaço devido às limitações que temos.

Blog

Espaço importante deve ser constantemente atualizado, aqui sim com espaço para qualquer publicação, política, música, teatro, arte, futebol....

Jornal Mural

Que não seja uma reprodução mais ampla do zine, nossa proposta é a de que seja um espaço com constante atualização das notícias e discussões da atualidade, para que o estudante que trabalha, que não tem acesso fácil a informação, possa suprir essa necessidade no seu ambiente de estudo.

4) Atividades artístico-culturais e Grupos de Discussão

Utilizar das práticas artísticas organizadas pelo CA com o objetivo de formação política e de discussão da história, das lutas e da educação.

Os projetos nos molde do CASCA, não são prioridades da gestão: é notável que a organização de tais eventos trazem um desgaste para algumas pessoas (que já se ocupam de uma série de responsabilidades acadêmicas, com a luta e com o próprio CALHEV), e, pois, resultam apenas no mero entretenimento de outros acadêmicos. Para nós o CA não é um promotor de eventos, é um instrumento de luta, e facilmente as atividades artísticas podem colaborar com essa tarefa.

Propostas:

CASCA - Qualquer espaço do curso pode ser utilizado para a manifestação artística, nossa proposta é que a realização desse evento parta de qualquer estudante ou grupo de estudantes, fazendo parte ou não da gestão, devendo se responsabilizar pelo andamento e organização da atividade.

CINECASCA - Exibição de filmes com debates ou uma introdução do tema abordado, que busquem a discussão política: sobre história, educação, arte e movimentos sociais.

GRUPO DE DISCUSSÃO - Proposta de criação de um, ou mais, grupo(s) de discussão, para debater questões dos movimentos sociais e da formação em História.

5) Organização

A chapa se organizará de forma horizontal, as tarefas e funções ficaram a cargo dos grupos de trabalho permanentes e provisórios (que deverão ser criados de acordo com uma necessidade ou uma tarefa especifica, exemplo: realização de uma festa)

Qualquer acadêmico, mesmo não fazendo parte da gestão, pode participar de um grupo de trabalho, basta solicitar.

quarta-feira, 13 de maio de 2009

ATO CONTRA O AUMENTO DA TARIFA DE ÔNIBUS


O prefeito Carlito Merss rompeu seu compromisso com a população joinvilense e decretou um aumento de 12,2% nas tarifas do transporte coletivo. Para reverter a situação, a Frente de Luta pelo Transporte promove nessa sexta-feira um ato para barrar o aumento. A manifestação vai ocorrer na Univille, e será a primeira de muitas, até o aumento ser revogado.
Contamos com a sua participação!
O Ato será no Bloco A da Univille
A partir das 19 horas
NO dia 15/05/2009 - sexta feira

segunda-feira, 4 de maio de 2009

ELEIÇÕES DO CALHEV!

ELEIÇÕES DO CALHEV!


Já está publicado o Edital de Eleição do CALHEV. Quem tiver interessado em mobilizar-se para a luta no Movimento Estudantil de História através do CALHEV, não deixe de se organizar pelas datas do Edital.

As chapas que quiserem que suas propostas sejam divulgadas através dos meios do CALHEV, favor enviar material para o e-mail, ou entregar a algum integrante da gestão.

As datas:

A eleição: 20/05/2009 – das 18:30 AS 21:00 – No Corredor de História – BLOCO A do Campus Universitário.

Período de Inscrição de Chapa: 30/04/2009 a 08/05/2009.

Período de Campanha: 11/05/2009 a 17/05/2009

Posse da nova gestão: 27/05/2009.


ATENÇÃO

Para inscrição de Chapas e demais dúvidas pode-se e deve-se recorrer à comissão eleitoral – que é formada por um/a representante de cada turma. Pode-se também recorrer à integrantes da atual gestão.


Da comissão eleitoral são:
Carolina – 1º ano.
Lisandra – 2º ano.
Tere – 3º ano.
Priscila D. 4º ano.

Para inscrever chapa basta entregar por escrito os nomes completos e séries dos/as integrantes, assim como o “cargo” que este/a representará na nominata.

O EREH 2009



Começou tudo meio errado. Não se deve culpar ninguém, já que é uma organização voluntária de estudante pra estudante, mas muitos que tinham interesse não puderam participar por causa do atraso na divulgação, e assim o despreparo financeiro, que é na maioria dos casos o maior problema, além é claro da disponibilidade de tempo, conceito este que é caro pra maioria dos estudantes.

Ainda assim vamos tentar nos organizar, pois sabemos que sempre há os comprometidos em ajudar a construir o movimento, a discutir e aprender. É muito longe... Outro problema! Vai ficar muito caro. Como o apoio é pouco, a maioria do ônus sai de nós mesmos. Mesmo assim, vamos lá, pois sabemos que sempre há os comprometidos em ajudar a construir o movimento, a discutir e aprender, e assim, no mínimo ficamos satisfeitos com o bônus.

Excesso de burocracia pra organizar e um tanto de concentração de trabalho, mas no fim, tudo certo... Levamos uma boa quantidade de estudantes, e ainda conseguimos colaborar com outra Universidade, ótimo. A viagem tranqüila, e chegamos à Caxias... Um friozinho, um pessoal conhecido daqui e dali, e a expectativa de satisfação com a coisa toda.

Com exceção de algumas críticas possíveis à organização, como a questão da alimentação, e o infeliz recorte temático dos palestrantes que falariam sobre o tema, que todos foram mais descritivos do que analíticos e falaram basicamente a mesma coisa, outros pontos são muito elogiáveis.

Os GDs foram muito produtivos, apesar de estar um tanto quanto por fora das discussões que quase não acontecem em nossa Universidade, e que a partir desse EREH tentamos uma ação pra que isso acontecesse, as atividades paralelas, quem participou elogiou e as socializações e integrações, como sempre muito boas.

No final, nem todos participaram e se comprometeram com a discussão política, mas os que os fizeram confirmaram a expectativa de que sabemos que sempre há os comprometidos em ajudar a construir o movimento, a discutir e aprender, e no domingo, na volta, mesmo com alguns probleminhas que talvez poderiam ser maiores do que este diminutivo, a visão era uma só: todos visivelmente atingidos por um feriadão no mínimo movimentado, e cada qual com a sua concepção e movimento.


Felipe Rodrigues da Silva